As cem linguagens da criança

Atualizado: 5 de Out de 2018



A criança é feita de cem.

A criança tem cem mãos, cem pensamentos, cem modos de pensar,

de jogar e de falar.

Cem, sempre cem modos de escutar as maravilhas de amar.

Cem alegrias para cantar e compreender.

Cem mundos para descobrir. Cem mundos para inventar.

Cem mundos para sonhar.

A criança tem cem linguagens (e depois, cem, cem, cem),

mas roubaram-lhe noventa e nove.

A escola e a cultura separam-lhe a cabeça do corpo.

Dizem-lhe: de pensar sem as mãos, de fazer sem a cabeça, de escutar e de não falar,

De compreender sem alegrias, de amar e maravilhar-se só na Páscoa e no Natal.

Dizem-lhe: de descobrir o mundo que já existe e, de cem,

roubaram-lhe noventa e nove.

Dizem-lhe: que o jogo e o trabalho, a realidade e a fantasia, a ciência e a imaginação,

O céu e a terra, a razão e o sonho, são coisas que não estão juntas.

Dizem-lhe: que as cem não existem. A criança diz: ao contrário,

as cem existem.



Loris Malaguzzi, professor italiano que criou a abordagem educativa mais conhecida como Reggio Emilia e defensor da pedagogia da escuta, ele a relacionava ao debate acerca da linguagem oral e escrita, mas também ao estudo do cérebro e às ideias sobre os processos de aprendizagem (“aprender fazendo” de Dewey). Reggio Emilia é uma pequena província considerada colaborativa, cuja Educação Infantil foi considerada a melhor do mundo em 2013, e difunde largamente a ideia das Cem Linguagens. Para o educador, não só o que a criança pensa é válido, mas válidas são também as múltiplas linguagens da infância e a forma como as crianças pesquisam, produzem sentido e conhecimento.

213 visualizações
solare_logotipo-01.png

     Localização 

Av. Possidônio José de Freitas, 1.401

Urbanova - São José dos Campos - SP

© Copyright 2018 Colégio Solare. Produzido por Carolina Lopes

Fotografia by Ana Luisa Mendes

Acompanhe-nos:

  • White Instagram Icon

Entre em contato:

12 3949-1044